Capaebook1.jpg

Selbstschutz:

Associativismo colonial e a experiência da autodefesa nas colônias teuto-brasileiras do Rio Grande do Sul (1890-1930)

Paulo Rogério Friedrichs Adam

O livro Selbstschutz: Associativismo colonial e a experiência da autodefesa nas colônias teuto-brasileiras do Rio Grande do Sul (1890-1930) trata da trajetória e das transformações da organização associativa dos colonos teuto-brasileiros no Rio Grande do Sul, principalmente aquele associativismo político e de autoproteção que existiu do final do século XIX e o primeiro terço do século XX. Em meio às complexas relações dos colonos com a realidade sociopolítica, no rumo de sua eventual autonomização política, existe uma conexão que liga a história do associativismo que se desenvolveu na região colonial, envolvendo a formação do Partido Colonial (Koloniepartei) e das Associações Coloniais (Kolonieverein), passando pela Associação Riograndense de Agricultores (Bauernverein) até chegar as Selbstschutzverein e a constituição das Uniões Coloniais; processo no qual foi fundamental a formação dos Selbstschutzvereine dos anos 20, da região serrana do Rio Grande do Sul.

O bipartidarismo em Passo Fundo/RS

(1965-1982)

Alessandro Batistella

Em outubro de 1965, por meio do Ato Institucional nº 2 (AI-2), a ditadura militar extinguiu os partidos políticos existentes e o sistema pluripartidário, implantando o bipartidarismo. Dessa forma, foram organizados o partido governista, denominado de Aliança Renovadora Nacional (ARENA), e o partido oposicionista, denominado Movimento Democrático Brasileiro (MDB). No presente livro, o autor lançou-e à análise do bipartidarismo em Passo Fundo/RS, enfocando, sobretudo, na gênese e a trajetória da ARENA e do MDB passo-fundenses.

Índios, jesuítas e bandeirantes no Alto Jacuí

Implicações históricas e geopolíticas da redução de Santa Teresa del Curiti

Fabricio J. Nazzari Vicroski

O livro do arqueólogo e historiador Fabricio José Nazzari Vicroski possui a virtude de reunir todos esses séculos no tempo presente, como tema contemporâneo, pois representa um vazio cultural dos rio-grandenses. Dá historicidade à sociedade no espaço longamente ocupado. Estimula os habitantes a se sentirem parte dessa longa gesta humana. Os elementos antropológicos estão neles, na cultura e seus hábitos, nos fenótipos, nas mestiçagens de diversas expressões gentílicas. Contribui para a consciência de pertencimento e entendimentos dos conflitos que arrasta consigo.

As fronteiras nacionais e a imprensa na República Velha

Adelar Heinsfeld

Para o historiador, a imprensa escrita se apresenta como uma fonte de pesquisa extremamente importante. Evidentemente que, como toda documentação, a imprensa precisa ser trabalhada com o devido cuidado. A partir da imprensa é possível perceber não exatamente o que estava acontecendo num determinado período, mas aquilo que a opinião pública pensava que estava acontecendo.
Nas questões fronteiriças equacionadas nas duas primeiras décadas da República brasileira a imprensa teve um papel fundamental. Sempre que uma discussão diplomática com algum país vizinho envolvia a fronteira territorial, em que um pedaço do território nacional estava em jogo, a imprensa transformava isso em questão de interesse nacional. Toda a Nação se sentia envolvida pela forma como a imprensa tratava cada vez que uma pendência lindeira estava em discussão. Graças à atuação da imprensa, a fronteira territorial com os países vizinhos tornou-se um elemento fundamental para a compreensão da nacionalidade.

Passo Fundo - Estudos Históricos

Volume II

Alex Antônio Vanin e Djiovan Vinicius Carvalho
(Coordenadores)
Fabiana Beltrami, Heleno Damian e
Marco Antonio Damian (Organizadores)

A obra Passo Fundo: Estudos Históricos - Volume II, tem como linha temática a articulação entre História e Imprensa. Conjugando esforços de historiadores e jornalistas, o livro trata de temas diversos da história passo-fundense, perpassando pela história “dos” e “nos” periódicos citadinos. Questões como a criação da imprensa em Passo Fundo, no final do século XIX, e estudos inerentes à política local, estadual e nacional são seguidos de outros temas, como as percepções e posicionamento da imprensa acerca do morrer, da Segunda Guerra Mundial, bem como do uso de imagem e de fotografias nos periódicos no início do século XX.

Quem é quem?

A elite política passo-fundense (1945-1988)

Luiz Alfredo Fernandes Lottermann

Analisando fontes históricas variadas e utilizando-se de um rigor metodológico, o livro do historiador Luiz Alfredo Fernandes Lottermann resulta de uma ampla pesquisa acerca da elite política de Passo Fundo entre os anos de 1945 a 1988. O amplo recorte temporal, que abrange os períodos da Terceira República (1945-1964) e da Quarta República ou ditadura militar (1964-1988),
possibilita-nos uma análise comparativa entre as diferentes conjunturas e, principalmente, sobre as continuidades e
mudanças no perfil da elite política passo-fundense.

História do Mundo Rural:

o sul do Brasil - Volume III

Simone Lopes Dickel e Anacleto Zanella
(Organizadores)

A presente coletânea é fruto de um esforço conjunto dos doutorandos que fazem parte do corpo discente do Núcleo de Estudos Históricos do Mundo Rural (NEHMuR), vinculado à linha de pesquisa Espaço, Economia e Sociedade do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade de Passo Fundo (UPF). As diferentes temáticas apresentadas pelos doutores e doutorandos em cada capítulo tem relação com a pesquisa desenvolvida no mestrado ou doutorado. De uma forma ou de outra, essa multiplicidade de temáticas é contemplada nas discussões propostas nos encontros do NEHMuR, que tem como um de seus propósitos contribuir à trajetória acadêmica dos discentes, qualificando teórica e metodologicamente suas pesquisas na medida em que promove o debate de textos e possibilita a socialização das ideias e dos desafios que permeiam o cotidiano do pesquisador.

CAPA_1.jpg

Capítulos de História Política:

Problemas e Estudos

Charles Sidarta Machado Domingos; Alessandro Batistella; Douglas Souza Angeli; Luiz Alberto Grijó; Jonas Moreira Vargas (Organizadores)

Nestes Capítulos de História Política, diferentes problemas e estudos desenvolvidos através da pesquisa histórica são trazidos a um público mais amplo por suas autoras e seus autores. Diversas são as temporalidades visitadas, as abordagens variam em escala de análise e as fontes pesquisadas se encontram em acervos de distintas proporções; no entanto, os artigos trazem um enfoque comum para seus objetos de pesquisa: os olhos voltados para o político como expressão das mais variadas disputas pelo poder, seja nos meios de comunicação, na arena político-partidária, nos regimes democráticos, ditatoriais e na própria historiografia.

O Clã Celta

Luiz Alberto Küster

O livro narra a jornada do clã Celta, iniciada há 25 mil anos, nas cordilheiras do Cáucaso, com o nascimento do primogênito Oisín (haplogrupo R1b de linhagem masculina). Com o término da última Era do Gelo há 10 mil anos, seus descendentes conquistam as estepes ao norte do Mar Negro – Estepe Pôntico-Cáspia – na Rússia e Ucrânia dos dias de hoje. Há cinco mil anos, na vastidão da estepe conseguem domar o cavalo selvagem. Aprendem a fundir a calco-pirita e passam a produzir o cobre.

ebook2.jpg

EDIÇÃO GENÉTICA GERMINATIVA SOBRE O GENOMA HUMANO E OS DESAFIOS COLOCADOS À ABERTURA DA CLÁUSULA MORAL PATENTÁRIA

Novidade

Com capacidade de reflexão sobre o tema, utilizando a teoria sistêmica autopoiética e o método hipotético-dedutivo, o pesquisador busca verificar se o Brasil e o México têm motivo para agir legislativamente em relação à cláusula moral aberta em suas legislações, devido ao contexto em que a edição da linha germinativa do genoma humano ameaça (testa) a sua capacidade de fornecer segurança jurídica. O comprometimento intelectual resta claro nas inferências da pesquisa ao considerar que a cláusula moral é útil em alguns casos e tem um propósito de existir, porém se mostra limitada em situações complexas e previsíveis. Por isso,  tratando-se de edição genética da linha germinativa humana, indica como resposta à questão inicial lançada o fechamento específico do sistema jurídico, uma vez que a falta de fechamento da cláusula moral no direito patentário, no caso da edição genética da linha germinativa humana, pode falhar em seu teste em contextos como o brasileiro e mexicano.

Capa_ebook1.jpg

"TERRAS DE NEGRO":

CAMINHO ENTRE O DIREITO CONSUETUDINÁRIO E O CONSTITUCIONAL SOBRE A PROPRIEDADE

Mais vendidos

A obra “‘Terras de negro’: caminho entre o Direito Consuetudinário e o Direito Constitucional sobre a propriedade”, do autor Áxsel Batistella de Oliveira contribui na compreensão dos conflitos acerca da propriedade da terra referente aos quilombolas remanescentes no Rio Grande Sul, problematizando as dicotomias entre o direito consuetudinário e o direito constitucional, tendo como base a história da formação das comunidades quilombolas no processo de ocupação da terra através do costume.

COLONOS, POSSEIROS E GRILEIROS NO OESTE PARANAENSE

Antonio Marcos Myskiw

“Colonos, Posseiros e Grileiros no Oeste Paranaense” proporciona, em poucas palavras, a deslegitimação de uma memória oficial a respeito dos conflitos de terra, isto é, de que os conflitos agrários teriam ocorrido porque posseiros e/ou grileiros teriam invadido terras de colonos ou de empresas colonizadoras, justificando ações armadas e judiciais contra eles. Forjou-se uma “amnésia” social. O estudo de realidades específicas e o cruzamento de informações de diversas fontes documentais, evidenciou que o estado do Paraná e os órgãos utilizados por ele quando da colonização da região Oeste do Paraná atuaram de forma irregular. Ações estas, que em alguns documentos justifica-se pelo fato de que a chegada de migrantes no Estado era intensa. Noutro momento, a ação irregular justifica-se pelo não entendimento e à morosidade do Poder Judiciário frente a uma ação judicial envolvendo o estado do Paraná, a União e empresas colonizadoras. De uma forma ou de outra, quem acabou “pagando a conta” foram colonos e posseiros.

DESEJADOS E EXPULSOS: 

TRABALHADORES IMIGRANTES NA/COMO PANDEMIA

João Carlos Tedesco

Os processos migratórios internacionais estão no centro das grandes questões que envolvem a pandemia do coronavírus nessa primeira metade de 2020. Fechamento de fronteiras, isolamento social, política de repatriação, sentimento social anti-imigração, regulação de entradas em portos e aeroportos, dentre outros, marcam esse período.
A crise econômica ocasionada pela pandemia está atingindo em cheio os trabalhadores em geral e, em particular, os imigrantes. Perda de emprego, dificuldade de isolamento social, inexistência de planos de saúde, discriminação social e tentativas de retorno ao seu país de origem são alguns dos horizontes que os contempla. O presente texto, caracterizado como notas de uma conjuntura, analisa esses aspectos e enfatiza que a pandemia revela com mais nitidez as diferenciações sociais, as vulnerabilidades, a precarização do trabalho e, acima de tudo, o lugar dos imigrantes na sociedade.

COLONIZAÇÃO MILITAR NO OESTE CATARINENSE: 

JOSÉ BERNARDINO BORMANN E A COLÔNIA MILITAR DO XAPECÓ (1880-1898)

Leticia Maria Venson

A leitura do livro de Letícia Maria Venson é fluída, leve e farta em documentos históricos que embasam suas reflexões. Apresenta ao leitor outro olhar sobre a Colônia Militar do Xapecó e do General José Bernardino Bormann. Contribui para com a historiografia local e regional na escrita e reescrita da história, com viés agrário e militar, e ajuda a pensar a ocupação da região de fronteira com a Argentina, cujos embates diplomáticos com o Brasil se estenderam por vários anos.

SÍRIOS E LIBANESES NO CENTRO-NORTE DO RIO GRANDE DO SUL:

IMIGRAÇÃO, MEMÓRIAS E REPRESENTAÇÕES

Alex Antônio Vanin

João Carlos Tedesco

Jussara Jacomelli

O presente estudo sobre sírios e libaneses no centro-norte do Rio Grande do Sul intenciona dar uma contribuição na análise relacional desses grupos num espaço interiorano entre final do século XIX e primeiras décadas do século XX. Esse cenário guarda algumas especificidades de mobilidade geográfica, distância, cultura agrarista e pastoril, pequenos agrupamentos populacionais, ausência de oferta de ensino formal, dentre outras. Sírios e libaneses inseriram- se nesses espaços “novos” para imprimirem ou adequarem-se a uma lógica mercantil de trocas de excedentes. Identificaram-se nesse processo como mascates, imprimiram novidades nas relações de troca e oferta de produtos, para, posteriormente, com o acúmulo de capital financeiro, montarem seus estabelecimentos comerciais. Assim, constituíram redes com centros urbanos maiores, dando dinamismo aos vínculos geográficos e relacionais inter e intraétnicos.

Entre Justiça e Lucro - Rio Grande do Sul - 1889-1945

Ironita Policarpo Machado

A obra é o resultado de uma análise cuidadosa sobre os processos judiciais e sua estreita associação com a dinâmica de compra e venda de terras, nas primeiras décadas do século XX.  Ao assumir essa tarefa, Ironita Machado não economiza esforços para analisar o complexo processo de mercantilização da propriedade territorial naquelas bandas, mas suas reflexões vão bem mais além do que o Sul do país. O livro desnaturaliza a propriedade privada, e por essa razão, Entre justiça e Lucro firma-se como uma obra que vale a pena afirmar: é incontornável, de leitura obrigatória.

A trajetória política de Siegfried Emanuel Heuser (1950-1986)

Gustavo Henrique Kunsler Guimarães​

O ano de 2019 foi simbólico para esta pesquisa. Siegfried Heuser estaria completando seu centenário e também 50 anos do fatídico 17 de outubro de 1969, quando o então presidente do MDB do Rio Grande do Sul teve seus direitos políticos cassados. Ativo politicamente de 1950 até 1969 e de 1979 até 1986, Heuser foi uma das importantes lideranças trabalhistas que compuseram o quadro político do Rio Grande do Sul.
Um extenso trabalho de análise de fontes foi feito nessa obra. Anais da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul (1951-1967), Anais da Câmara Federal (1983-1986), notícias ligadas a Siegfried Heuser nos jornais Gazeta do Sul (1950-1986), Diário de Notícias (1954-1969) e Correio do Povo (1965-1986), além de outras publicações que constituem a ampla variedade de fontes utilizadas na produção desta pesquisa.
O livro proporciona ao leitor, a análise da trajetória política de Siegfried Heuser além do pensar sobre as articulações intrapartidárias nas agremiações em que o mesmo esteve inserido, e as lutas simbólicas envolvendo o trabalhismo.

Reforma Agrária em foco:

O discurso de Plínio Corrêa de Oliveira (1960-1995)

Gizele Zanotto

O trabalho opta pela análise de Plínio Corrêa de Oliveira, e da Sociedade Brasileira de Defesa da Tradição, Família e Propriedade (TFP), após constatar a presença saliente da entidade no cenário político brasileiro, especialmente entre as décadas de 60/70, fato que se relaciona com a liberdade de ação que a TFP adquiriu ao publicizar seu apoio ao governo militar. Apesar disso, a TFP ainda não recebeu a devida atenção por parte dos historiadores, sendo que poucos foram os autores que contemplaram as atividades tefepistas, de maneira que nosso estudo pretende, também, preencher parte desta lacuna ao analisar a atuação pública deste movimento. Já a motivação subjetiva relaciona-se com o fascínio que temos pelo tema do anticomunismo, que remete à atuação da TFP pela sua postura de identificar com o comunismo qualquer atitude ou pensamento que contrarie sua doutrina, o que torna este anticomunismo tefepista um tanto mecânico. Assim, a reforma agrária também foi identificada com o comunismo pelos tefepistas, e refutada como prejudicial aos interesses de nosso país e, principalmente, como contrária à orientação cristã da maioria nossa população. Mas a motivação principal que orientou a pesquisa foi o interesse pela questão da reforma agrária – uma questão complexa que afeta os interesses de grandes produtores rurais (lucro), investidores (especulação financeira), políticos (influência) e agricultores (digna sobrevivência).

Étnicos, Milenários e Bandidos

História dos Movimentos Sociais no Sul do Brasil (Séculos XIX-XX)

Humberto José da Rocha (Organizador)

O estudo das mobilizações sociais no Sul do Brasil entre os séculos XIX e XX, permite uma unidade de análise envolvendo diferentes casos. O protagonismo de indígenas como Kondá, Doble e Tigre Gacom, o banditismo de Paco Sanchez, a brutalidade de Santa Cruz ou as incursões do Bando do João Inácio, as mobilizações dos Monges do Pinheirinho, dos Monges Barbudos, dos Muckers ou do Contestado, as experiências da Colônia Cecília e do Falanstério do Say, são alguns dos casos que compõem essa unidade. Uma genealogia dos movimentos sociais precisa considerar esses casos no sentido de compreender um processo histórico que se desenvolve na concomitância de fatores econômicos, políticos e culturais que ajudam a compreender não apenas aquele período em sua especificidade, mas como esse processo confluiu para o estado das coisas na contemporaneidade.

INSTITUTO EDUCACIONAL DE PASSO FUNDO:

100 ANOS DE HISTÓRIA

Eduardo Pitthan
Djiovan Vinicius Carvalho
Tania Mariza Kuchenbecker Rösing

Criado para atender aos propósitos de evangelização e educação metodistas, o IE buscou aliar aspectos educacionais inovadores e tradicionais, visando oferecer uma educação cidadã e de excelência. O projeto pedagógico da escola impactou na formação individual e social de milhares de pessoas por meio dos valores humanísticos de respeito, ética e liberdade, que ao longo dos anos foram sintetizados pelo lema da instituição: mens sana in corpore sano.
Pensando em preservar a contribuição do IE para o desenvolvimento pessoal de um sem número de jovens e a influência da escola nos campos social, político, econômico e educacional de Passo Fundo e região, o livro traz depoimentos, registros iconográficos, memórias e uma densa e intensa pesquisa histórica.

Passo Fundo - Estudos Históricos

Volume I

Alex Antônio Vanin e Djiovan Vinicius Carvalho (Organizadores)

O volume I da Coleção Passo Fundo - Estudos Históricos é composto por trabalhos que abordam uma ampla variedade de temas. Desde narrativas e estudos históricos, passando por práticas comerciais, festejos populares e por aspectos da visualidade urbana, os trabalhos tratam também acerca da diversidade de crenças e manifestações religiosas em Passo Fundo, bem como das questões relacionadas ao ensino, à política e às relações de poder que envolveram diversas manifestações sociais em períodos diversos no município.

 
Pile%20Of%20Books_edited.jpg

Nossos serviços

Ainda não conhece os serviços que oferecemos? 
Ou ainda, não sabe por onde começar a organizar os teus escritos para publicação? 

Nós temos a solução. Ou melhor, as soluções. Cada caso é específico e a nossa atenção é voltada para resolver as dúvidas, sejam elas quais forem: formato do livro, tipo de letra, custo de impressão e tantas outras questões estão a te preocupar nesse momento. Nada tema, estamos aqui para ajudar!

 
Business Supplies Design

Conheça nossos autores e autoras

Confira quem está publicando com a gente

Conheça nossas obras

Tenha acesso aos livros já publicados por nós

 

Sobre

A Editora Acervus foi criada em 2019. Tem sua principal linha editorial voltada para publicações de cunho acadêmico, enfocando nas áreas da História, Literatura, Sociologia, Geografia, Economia, Direito, Relações Internacionais, dentre outras. A Editora visa referendar tais publicações a partir da revisão e parecer dos integrantes do Conselho Editorial, buscando a qualificação do que é publicado pela entidade.

 

Entre em contato

Avenida Aspirante Jenner, 1274
Bairro Lucas Araújo
Passo Fundo, Rio Grande do Sul - Brasil

Tel: + 55 (54) 99686-9020

 

Tel: + 55 (54) 99686-9020

Avenida Aspirante Jenner, 1274
Bairro Lucas Araújo
Passo Fundo, Rio Grande do Sul - Brasil

  • Facebook
  • Instagram

©2021 por Acervus Editora